O mexicano, ou como estar de frente para o outro e não se ver

A princípio, pessoalmente, O labirinto da solidão (1950), livro de ensaios de Octavio Paz (1914-1998), me lembrou muito da proposta – bem como do livro como execução – de A conquista da América (1982), de Tzvetan Todorov. Em ambos os … Leia mais

O ano da bandana

Um dos mais renomados escritores da literatura contemporânea estará na boca e nas prateleiras dos leitores do Brasil em 2013: David Foster Wallace. Nascido em Ithaca, no estado de Nova York, em 1962, formou-se em Língua Inglesa e Filosofia. Em … Leia mais

Os ensaios – Uma seleção (Michel de Montaigne)

É de fato difícil almejar abarcar, minimamente que seja, a extensão física e espiritual dos célebres Ensaios de Michel de Montaigne. A seleção brasileira (ou Uma Seleção, como diz o subtítulo) lançada recentemente pela Companhia das Letras, possui mais de … Leia mais

A cortina: ensaio em sete partes (Milan Kundera)

O romance é uma forma narrativa relativamente jovem. Isso, óbvio, se o compararmos com a poesia ou o drama: enquanto estes existem no mínimo desde a antiguidade, aquele formatou-se junto com a modernidade. E agora, em tempos de modernidade exacerbada, … Leia mais

A Mente Cativa (Czesław Miłosz)

Hoje em dia são mais ou menos óbvios os problemas que se apresentavam àquele que enveredava pelo caminho da criação literária à leste da Cortina de Ferro: o dilema entre sacrificar a integridade artística e, por vezes, moral, em troca … Leia mais

Nenhuma ilha é uma ilha (Carlo Ginzburg)

Carlo Ginzburg é um dos nomes mais conhecidos da atualidade tanto na História quanto na crítica literária. Apesar de suas incursões no terreno da crítica literária, na qual demonstra uma erudição bastante distinta e rara nos dias de hoje, ele … Leia mais