O Tribunal da Quinta Feira, de Michel Laub

Em O Animal Agonizante, de Philip Roth, David Kepesh, após ouvir o tortuoso relato de traição de seu filho e das culpas daí derivadas, o diagnostica: “a virtude é uma perversão como qualquer outra”. Embora Kepesh seja um personagem menos que exemplar, … Leia mais

A ilha é ela mesma, de Thiago Camelo

por Henrique Amaral À primeira vista, o título do segundo livro de poemas de Thiago Camelo – A ilha é ela mesma (Moça Editora, 2015) – talvez remeta o leitor, pelo redundante e insular da afirmação, ao lugar-comum do isolamento … Leia mais

“Ainda não me vejo como um escritor formado” – entrevista com Rafael Mendes

Rafael Mendes tem 31 anos e é escritor. Natural de São Paulo, estreou na literatura com o livro de contos A melhor maneira de comprar sapatos, em 2012, pela Confraria do Vento, que foi seguido pela novela Fôlego, em 2014, … Leia mais

“A literatura para mim nasce do incômodo” – entrevista com Flávio Izhaki

Foto: Fábio Motta/Estadão Morador do bairro de Laranjeiras, Zona Sul do Rio de Janeiro, o jornalista e escritor Flávio Izhaki foi lançado no mercado editorial brasileiro como uma das novas promessas da literatura contemporânea, durante o final dos anos 2000. … Leia mais

E Mário saiu do armário

18 de junho de 2015: o dia em que Mário de Andrade saiu (ou melhor, foi tirado) do armário. E daí? Saiu ao público a chamada “carta secreta” de Mário para Manuel Bandeira – ou Manu, seu apelido –, que até … Leia mais

Pagu para além da vida e obra

Em termos de lançamentos literários, acredito que 2014 foi um ano realmente peculiar. A preocupação com a reedição parece começar a crescer no meio editorial brasileiro, ainda que tenhamos muitas obras (mesmo!) fora do mercado há décadas, limitadas a exemplares … Leia mais

Uma antologia de Murilo Mendes só não basta

Gosto muito de Murilo Mendes. Talvez seja, na minha opinião, um dos poetas do país menos elogiados do que deveria ser. É claro que, em parte, digo isso porque gosto desse poeta mineiro, de Juiz de Fora, até mais do … Leia mais

Alice, não mais que de repente

Não sei dizer se isso data do modernismo ou de algum outro período artístico-literário qualquer (quem sabe da ruptura de Joyce ou quem sabe até mesmo do Pound), mas me parece que de uns tempos para cá (um tempo longo, … Leia mais

Schwarz e suas ideias no devido lugar

Como campos do saber que foram criados baseados em pressupostos e objetivos diferentes, e que tiveram todo um desenvolvimento distinto entre si, a história e as letras serão sempre interlocutores que, embora possam se aproximar e interseccionar, travarão debates acalorados. … Leia mais

Paulo Scott está cansado

por Luis Felipe Abreu Estacionada ao lado do Instituto Goethe, uma van recebe a trupe de organizadores da 7ª Festa Literária de Porto. Logo em seguida quem sobe ao veículo é Paulo Scott, um dos participantes da palestra daquela noite, uma … Leia mais

Vitor Ramil e a literatura gramatical

Espero que encontre eco nos leitores deste texto a minha confissão: apesar de adorar ler desde que me lembro, eu não gostava de gramática. Sinto a necessidade de precisar: em meus tempos de colégio, não conseguia gostar de gramática. Embora … Leia mais

Me segura qu’eu vou te falar do Waly

É estranho alguém dizer que apenas leu Waly Salomão, não é? A impressão é que o poeta baiano parece ser poeta até mesmo fora dos livros. Pessoalmente, conheci Waly primeiro pelo nome, sempre citado como exemplo desse termo guarda-chuva que … Leia mais