O livro da gramática isralense

Aharon, o protagonista de O livro da gramática interior, tem doze anos e vive em Jerusalém. Aos doze anos, é como se o chão sob seus pés começasse a mudar, a tornar-se mais fluido, menos seguro. Todo o universo com … Leia mais

Etgar Keret, a contemporaneidade e a ficção

A literatura israelense, assim como sua cultura e política, esteve constantemente marcada pela preocupação com os conflitos que marcam essa região e o espinhoso histórico que os circunda. Na contemporaneidade, por exemplo, um dos grandes escritores israelenses – que, aliás, … Leia mais

Entre amigos (Amós Oz)

O movimento Kibutznik foi, sem dúvida, a pedra fundamental da construção do Estado de Israel. Colônias agrícolas criadas a partir do trabalho árduo e da ideologia foram tão importantes quanto as guerras que garantiram a Israel sua independência e existência … Leia mais

De repente, nas profundezas do bosque (Amós Oz)

Já havia travado contato com a prosa de Amós Oz através da obra A caixa-preta, livro, aliás, que achei sensacional: muito bem escrito, muito consciente das potencialidades dos artifícios narrativos dos quais se vale e sensível em seu trato com … Leia mais

Fora do tempo (David Grossman)

O certo é que um dia, todo mundo se torne órfão. Uma  regra que, como todas as outras, tem suas exceções. Exceções bastante dolorosas, como as que me fizeram ouvir essas palavras – foi minha avó que me disse isso, … Leia mais

O monte do Mau Conselho (Amós Oz)

A história de Israel, o Estado, não é nem um pouco “misteriosa”. Após a sua criação os conflitos ganham destaques em manchetes internacionais sempre que possível – até mais do que os acordos de paz – e creio que muita … Leia mais

O Monte do Mau Conselho (Amós Oz)

Liev Tolstoy abre seu ‘Anna Karenina’ de um dos modos mais memoráveis de todos os tempos: ‘Todas as famílias felizes são iguais. As infelizes o são cada uma a seu próprio modo’. Pelo menos três das incontáveis facetas que a … Leia mais

A caixa-preta (Amós Oz)

O Luciano é tão entusiasta do escritor israelense Amós Oz que eu fiquei curioso por conhecer a literatura dele e tive que ir conferir o porquê disso. Depois de ler A caixa-preta pude entender um pouco a razão de tal … Leia mais

Alguém para correr comigo (David Grossman)

David Grossman é, sem sombra de dúvida, um dos maiores escritores israelenses vivos hoje. ‘Ver: Amor’ é seu livro mais conhecido e, também, seu opus magnus. Mas ele não ocuparia o posto que ocupa no panteão da literatura sabra se … Leia mais

Fima (Amós Oz)

Apesar de o hebraico ser o idioma oficial de Israel, até pouco tempo atrás o russo era o idioma mais falado no país. A influência russa é tão grande que até o dia de Pushkin (em homenagem ao escritor Alexander … Leia mais

Fogo Amigo (A.B. Yehoshua)

Quando as pessoas procuram sua cara metade, esperam que o que sentir o outro também sinta e que eles possam partilhar os melhores e piores momentos de maneira extraordinária. Na condição de relacionamento, todos procuram alguém para dividir a dor, … Leia mais

Ver: Amor (David Grossman)

Ver: Amor, do escritor sabra David Grossman, é um livro tão singular quanto seu título. Lançado em hebraico em 1986 e ganhando sua primeira edição brasileira em 1993 (pela Nova Fronteira) e reeditado pela Companhia das Letras em 2007, o … Leia mais