Crítica: ‘Dentro da Casa’ – as tentativas de François Ozon

François Ozon é um homem delicado. Esse parisiense de quarenta e seis anos fez de sua filmografia uma sátira da vida moderna europeia, bebendo um pouco do nonsense de Resnais, buscando o discreto charme da burguesia que Buñuel desnudou tão bem e tirando de si uma … Leia mais

Crítica: ‘Holy Motors’ e a insanidade da arte

Ao sair da sessão de Holy Motors, é difícil que um espectador não pare por um segundo e se indague: o que foi isso que eu acabei de ver? Como entender esse filme? Como defini-lo ou criticá-lo? Como compreender uma … Leia mais