Histórias e Estórias – Da ingenuidade – Parte III

Após Montaigne e Rousseau (sobre os quais escrevi nas colunas passadas), essa coluna pretende deter-se um pouco sobre algumas das colocações de Umberto Eco quando esse fala sobre a cultura de massa, não necessariamente que esse texto se volte à … Leia mais

Histórias e Estórias – Da ingenuidade – Parte II

Continuando com meus posts sobre a ingenuidade – que começaram mês passado com a defesa de Rousseau – proponho pensarmos um pouco sobre os escritos de Montaigne, não necessariamente o cerne de suas várias facetas, mas uma frase em especial … Leia mais

Histórias e Estórias – Da ingenuidade – Parte I

Esses dias me lembrei de uma vez em que ouvi alguém comentando que deixou de ler Rousseau porque o achava muito ingênuo. Como não tinha lido nada do filósofo além de fragmentos d’O contrato social, e só tinha ouvido discussões … Leia mais