Noturno indiano (Antonio Tabucchi)

Para que algo seja chamado de precioso, deve ser valioso – seja por sua beleza seja por sua raridade (a definição é do Houaiss). Ultimamente, tenho usado o adjetivo frequentemente para qualificar alguns dos livros fininhos que leio, que se … Leia mais

O africano (J. M. G. Le Clézio)

Sendo uma obra de certa forma distinta das demais de Jean-Marie Gustave Le Clézio (1940), O africano (2004) é uma crônica de memórias, uma espécie de homenagem tardia do autor a sua infância na África colonial e a seu pai. … Leia mais

Pawana (J.M.G. Le Clézio)

Da minha leitura de Moby Dick, de Herman Melville, há cerca de dez anos, algumas impressões ainda restam: a de que foi uma experiência prazerosa; a de que eu ainda tinha muito a aprender antes de me aventurar a reler … Leia mais

Peixe Dourado- J. M. G. Le Clézio

Quando Le Clézio ganhou o Nobel, em 2008, eu fiquei um tanto quanto desconfiado. Não o conhecia mas o que li a respeito não me animou. Parecia-me um autor de ‘aventuras’- bastante interessante para o entretenimento, mas não tanto para … Leia mais