A beleza outonal de García Márquez

Quando Memórias de minhas putas tristes foi publicado, em 2004, se desencadeou um verdadeiro frenesi nas ruas da capital colombiana. Tem-se notícia que antes mesmo da publicação oficial, circulava uma versão pirata pelas ruas de Bogotá, uma que continha menos … Leia mais

“Viva a Música!”: urgência e vazio

Andrés Caicedo nasceu em Cali, na Colômbia, em 1951, e se matou na mesma cidade em março de 1977. Foi dramaturgo, organizador de cineclubes e escritor. Com seu suicídio prematuro, sua figura marginal e uma literatura extremamente fincada nas vozes … Leia mais

Macondo é aqui

O mundo vai se acabando pouco a pouco (p. 222)   Um êxodo bíblico de homens, mulheres e crianças, sob a liderança de José Arcádio Buendía, encontra uma região isolada à beira de um rio, protegida pelos montes e sem caminho … Leia mais

A ausência que seremos (Héctor Abad)

Um dos momentos mais emocionantes de A ausência que seremos não está no livro e, sim, no apêndice discursivo de Héctor Abad no bate-papo que rolou em uma livraria aqui de São Paulo. Da mesma forma como existe uma sinceridade … Leia mais

O outono do patriarca (Gabriel García Márquez)

Não foram poucas as ditaduras que assolaram a América Latina no século XX. A profusão de governos ditatoriais, personificados em uma figura, o ditador, que controlavam a imprensa, os aparelhos de poder e a fiscalização férrea da sociedade em seus … Leia mais