O mexicano, ou como estar de frente para o outro e não se ver

A princípio, pessoalmente, O labirinto da solidão (1950), livro de ensaios de Octavio Paz (1914-1998), me lembrou muito da proposta – bem como do livro como execução – de A conquista da América (1982), de Tzvetan Todorov. Em ambos os … Leia mais

Osso a Osso (Vasko Popa)

Se em geral a literatura da Sérvia não é muito difundida por essas bandas, o que dizer então da poesia desse país? Acho que, afora as traduções feitas por Aleksandar Jovanović, não existe mais nada. O que falta em quantidade, … Leia mais