Histórias e Estórias – Da ingenuidade – Parte I

Esses dias me lembrei de uma vez em que ouvi alguém comentando que deixou de ler Rousseau porque o achava muito ingênuo. Como não tinha lido nada do filósofo além de fragmentos d’O contrato social, e só tinha ouvido discussões … Leia mais

Histórias e Estórias – Temporalidades – Parte II

No mês passado minha coluna, no intuito de explorar um pouco a temporalidade na constituição da condição dos homens na história, falou sobre o calendário revolucionário francês, instituído em 1792. Nesse mês proponho que nos detenhamos um pouco sobre a … Leia mais

Histórias e Estórias – Temporalidades – Parte I

Há uma definição clássica de História feita por Marc Bloch em Apologia da história ou o ofício do historiador que a resume numa frase mais ou menos assim: a História é a ciência que estuda os homens no tempo. Descobrimos que … Leia mais