Em Campo Aberto (Cláudio Lovato Filho)

em 13 de julho de 2011

O estádio está lotado. São 60.000 pessoas torcendo, em maioria, pela vitória do time tricolor. A essa altura, a partida é um duelo: “o duelo entre torcida, entre jogadores e entre técnicos.” Esse jogo é um clássico de grande importância para o clube e decidirá, Em Campo Aberto, a vida dos diferentes personagens que compõem o romance de Cláudio Lovato Filho.

O livro narra a história desse clássico e, além disso, revela os momentos que antecedem e sucedem o jogo. O autor ambienta todo o cenário do futebol, desde o momento em que um funcionário caminha pelo campo vazio, acertando os tufos de grama, até as pessoas deixando o estádio em direção às suas casas. Ao longo da narrativa, somos atravessados por fragmentos de narrativa sobre a vida de alguns personagens e seus pontos de vista sobre aquela partida, que nos é apresentado por um narrador-onisciente.

 O pai e o menino são as figuras principais desse enredo e a ausência de nomes próprios para defini-los deixa a leitura ainda mais universal. O menino é apaixonado desde sempre pelo futebol e pelo time tricolor. O pai já fora assim também e, de certa forma, o time ainda o emociona. Enquanto são feitos os últimos acertos do campo, o leitor acompanha a expectativa do menino para chegar ao estádio. Para os dois, a partida não é só um clássico, mas sim uma chance de reaproximação familiar depois de alguns erros cometidos no passado, que ainda os assombram e afastam um do outro. O pai é uma figura introspectiva e misteriosa, pouco amigável para quem não o conhece, mas dotado de grande sensibilidade e arrependimento. O menino, por sua vez, carrega desde cedo um inesperável fardo nas costas, que não condiz com sua idade, além de medo. De casa, a mulher reza para que eles possam se entender.

Além deles, ainda há aqueles que acompanham a partida de dentro do campo e do camarote. No campo, por exemplo, o técnico precisa da vitória para continuar a trabalhar no time de seu coração. A essa altura, ele reflete sobre como sua profissão pode ser solitária. No gramado, Gian, o artilheiro do time, joga com toda a força e garra para dali a alguns meses ir para o exterior. Helinho, o reserva de 17 anos, desperta emoção da sua família que acompanha o jogo de outro estado pela televisão.

Em Campo Aberto usa o futebol como ponto de partida para falar de relações humanas, sonhos e memórias. A narrativa chama atenção por criar dois pontos de foco: Um no clássico que acontece em campo, e outro nos personagens, que aos poucos são desvendados. Por exemplo, logo em seguida a um passe e um drible, acompanhamos a conversa entre pai e menino. Do outro lado do estádio, um ex-jogador conversa com o presidente do clube. Ao mesmo tempo, o craque do time tricolor é perseguido por memórias. Com tudo isso, o livro se torna uma agradável experiência não só para aqueles que gostam de futebol, mas sim para qualquer leitor afim de perceber como um dia, uma partida ou um gesto podem ser significantes. Claudio Lovato Filho apresenta uma história repleta de sutilezas do cotidiano e paixão pelo esporte.

Saiba mais sobre essa e outras obras no site do Grupo Editorial Record

——————————————————————————–

Título: Em Campo Aberto
Editora: Record
Preço: R$29,90

DISCUTA ESSE ARTIGO NO FÓRUM MEIA PALAVRA

Um comentário para “Em Campo Aberto (Cláudio Lovato Filho)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.