Fala que eu te vejo

Ilustração Isabela Benassi

Ilustração Isabela Benassi

Resoluções de Ano Novo

Ilustração: Bô Brega

Ilustração: Bô Brega

Resultado do sorteio dos(as) três “Noites de Alface”!

SORTEIO FEITO!

Finalmente o sorteio dos três exemplares lindos de Noites de alface foi realizado. Só para o caso de alguém ter comentado sem prestar atenção na nota de rodapé 3 do post original (ou seja, esqueceu de usar um e-mail válido), resolvi testar o List Randomizer do site que normalmente uso para sorteios, uma vez que são três os exemplares sorteados. Ficaria estranho fazer sorteios individuais e cheiraria a falcatrua. Do jeito que foi feito, se alguém não der sinal de vida, já tem um próximo na lista. Enfim, eis como a lista ficou:sorteio noites de alface

Então é Natal

Ilustração: Ana Mohallem

Ilustração: Ana Mohallemraçn

Nunca fui Santa

foto (5)

Ilustração: Bô Brega

Hobsbawm e o século XXI

Consigo até imaginar o que muitos diriam se lessem hoje a entrevista que Eric Hobsbawm concedeu a Antonio Polito em 1999, jornalista que, à época, trabalhava no La Republica, jornal italiano. Estando em 2013 (a catorze anos, portanto, daquela data) podemos identificar minimamente aqueles pontos ou aspectos da realidade histórica presente em que o historiador britânico logrou acertos. Isso certamente desaguaria em diversas afirmações de que ele era uma espécie de profeta, ou de que ele conseguiu prever o futuro tal como ele veio a acontecer. Entre outras declarações do tipo.

Leia mais

Vale Tudo

Ilustração: Bô Brega

Ilustração: Bô Brega

Entre a mentira e a ironia

Ilustração: Ana Mohallem

Ilustração: Ana Mohallem

“O grande problema da internet é que ela tende à superficialidade, à fragmentação”, entrevista com José Castello

Sem dúvida, ele é um dos mais importantes nomes do jornalismo literário brasileiro. Ao longo de mais de trinta anos de carreira, esteve em contato com grandes figuras do universo das letras, trabalhando em diferentes veículos da imprensa carioca e paulista (atualmente dividido entre os jornais O Globo, do Rio de Janeiro; e Rascunho, de Curitiba, em acordo com ambos os veículos).

Sua estreia como escritor sucedeu em 1993 com a primeira biografia escrita sobre o poeta e músico Vinicius de Moraes, intitulada Vinicius de Moraes: o poeta da paixão (Companhia das Letras; Prêmio Jabuti de Literatura), e desde então não parou mais. Ao todo já foram mais de nove títulos publicados, dentre eles: João Cabral de Melo Neto — O homem sem alma (Rocco), Inventário das sombras (Record), Fantasma (Record), Literatura na poltrona (Record) e Ribamar (Bertrand Brasil; Prêmio Jabuti de Literatura), que transitam entre os gêneros: crônica, ensaio e ficção. Leia mais

Mais Amores Inexpressivos

Sai nesta terça-feira o novo título da coleção “Amores Inexpressivos”, que bancou jovens ficcionistas em temporadas de pesquisa por diversas cidades do mundo. Agora é a vez de Encontrei meu grande avô em Seropédica, do escritor mineiro Nuno Mascarenhas, vencedor do prêmio Maitê Proença de Literatura e publicado em edição independente do autor.

Trata-se de uma novela polifônica e ambiciosa, que dialoga com a memória e a culpa num duplo movimento narrativo, evocando os fluxos internos de consciência do narrador na melhor tradição introspectiva da literatura pós-clariceana. Leia mais

Um drama em quadrinhos

Bechdel. Caro leitor, essa não é a primeira vez que você vê esse sobrenome no Posfácio. Ela já tinha aparecido em uma “resenha” 1 minha para Jogos Vorazes. Foi nela em que falei sobre o teste Bechdel, que conheci no canal do YouTube “Feminist Frequency” – uma avaliação acerca da representatividade feminina em filmes: se houver pelo menos duas mulheres (que tenham nomes) que conversam entre si sobre outro assunto que não um homem, o filme passa no teste. 2

O teste Bechdel foi inspirado por uma das tirinhas da série Dykes to watch out for 3, publicada de 1987 a 2008 por Alison Bechdel em numerosos jornais. A quadrinista é mais famosa, no entanto, por Fun Home, eleito livro do ano pela revista Time – segundo a orelha, “a única HQ a receber a distinção”. Leia mais

  1. Defina “resenha”.
  2. É incrível a quantidade de filmes que não passa nesse teste simples. Se incluirmos o elemento “tempo” na conversa (digamos, trinta segundos de conversa sem falar do protagonista masculino, o único com o qual a plateia costuma se importar), o teste é alçado a “praticamente impossível”.
  3. Em tradução livre: “Sapatas para se prestar atenção” (ou “para se ficar de olho”). Inédita no Brasil.

Entendeu? Entendeu?

Ilustração: Ana Mohallem

Ilustração: Ana Mohallem