Os melhores jovens escritores brasileiros (Granta)

em 6 de julho de 2012

Há um ano, na Flip 2011, a Granta anunciou um projeto que consistia em selecionar os 20 nomes de jovens autores brasileiros com menos de 40 anos, talentos promissores, que seguiriam exemplo de outras publicações realizadas pela revista no mundo. Desde então, um extenso trabalho de triagem foi realizado. Ontem à tarde, em coletiva de imprensa realizada na Casa da Cultura em Paraty, o resultado desse projeto foi divulgado.

Roberto Feith, diretor geral da Objetiva, abriu a coletiva falando sobre como foi a seleção, atentando para a questão da qualidade dos textos e interesse dos leitores para a lista. Ele revelou que, antes das inscrições serem fechadas, o júri fez uma levantamento dos melhores nomes de jovens talentos da literatura e, posteriormente, compararam os nomes selecionados com os inscritos, verificando que a maioria dos nomes estava presente nas duas listas.

Além disso, ele revelou um consenso entre o júri, formado por 7 jurados, sendo 4 profissionais  da literatura brasileira, 2  editores da Granta em português e um jurado selecionado em conjunto pelos editores da Granta inglesa e brasileira. Cada um dos jurados fez sua própria lista de 20 nomes e, ao compará-las, verificaram que 17 autores já tinham os votos necessários para entrarem na seleção.

Roberto Feith encerrou suas considerações falando que “a coletânea é vibrante, diversa, moderna e cumpre o seu principal objetivo: indicar os principais nomes que irão construir a literatura brasileira da próxima década.”

Em seguida, John Freeman, editor da Granta de Londres, que estava presente no  lançamento do projeto em 2011, falou sobre o sucesso da Granta no Brasil e  das publicações ao redor do mundo, lembrando que nomes como Jonathan Frazen e Ian McEwan foram anunciados em coletâneas passadas.

Por fim, Marcelo Ferroni, coordenador do júri, voltou a falar sobre o processo de seleção. Cada um dos autores precisaria ter ao menos um texto publicado, ou seja, já deveriam ter começado a trilhar um caminho na literatura, e a inscrição consistia no envio de um conto ou trecho de romance. Eles receberam, ao todo, 247 inscrições válidas.

Feitas essas considerações, os nomes foram anunciados, tal qual uma escalação de jogadores para a Copa do Mundo. Eis os nomes:

Christhiano Aguiar
Javier Arancibia Contreras
Vanessa Barbara
Carol Bensimon
Miguel Del Castillo
João Paulo Cuenca
Laura Erber
Emilio Fraia
Julián Fuks
Daniel Galera
Luisa Geisler
Vinicius Jatobá
Michel Laub
Ricardo Lísias
Chico Mattoso
Antônio Prata
Carola Saavedra
Tatiana Salem Levy
Leandro Sarmatz
Antônio Xerxenesky

A Granta, como o próprio Roberto Feith definiu, é uma comunidade global de literatura, que começou como revista estudantil na Universidade de Cambridge. Desde então, ganhou terreno em outros países, como Itália, França e Brasil. Aqui no Brasil, a revista é publicada desde outubro de 2007.  Em 1983, a Granta publicou a primeira coletânea de  20 Jovens Escritores. Posteriormente, em 1996 e 2006, a seleção foi repetida para escritores norte-americanos e, em 2010, escritores de língua espanhola.

Um comentário para “Os melhores jovens escritores brasileiros (Granta)

  1. Pingback: Pessoas da FLIP | PapodeHomem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.