Berlim, por Joseph Roth

Me lembro que a primeira vez que vi o nome de Joseph Roth foi num livro de Eric Hobsbawm, provavelmente A era dos extremos. Tratava-se de um comentário elogioso, ressaltando o potencial expressivo de sua obra ao narrar a desagregação … Leia mais

Às avessas (e às direitas também)

Joris-Karl Huysmans não se tornou um escritor controverso, polêmico e celebrado à toa. Verdade seja dita, ele causou um baque estrondoso ao se chocar contra o solo, as questões e as certezas da literatura francesa do final do século XIX. … Leia mais

Etgar Keret, a contemporaneidade e a ficção

A literatura israelense, assim como sua cultura e política, esteve constantemente marcada pela preocupação com os conflitos que marcam essa região e o espinhoso histórico que os circunda. Na contemporaneidade, por exemplo, um dos grandes escritores israelenses – que, aliás, … Leia mais

Alice, não mais que de repente

Não sei dizer se isso data do modernismo ou de algum outro período artístico-literário qualquer (quem sabe da ruptura de Joyce ou quem sabe até mesmo do Pound), mas me parece que de uns tempos para cá (um tempo longo, … Leia mais

Kundera strikes again!

É realmente muito bom ver que Milan Kundera, depois de dez anos sem publicar livros de ficção, still got it. O espaço de tempo decorrido desde sua última publicação, como é de praxe, foi sendo preenchido por um conjunto de … Leia mais

Schwarz e suas ideias no devido lugar

Como campos do saber que foram criados baseados em pressupostos e objetivos diferentes, e que tiveram todo um desenvolvimento distinto entre si, a história e as letras serão sempre interlocutores que, embora possam se aproximar e interseccionar, travarão debates acalorados. … Leia mais

Os ásperos e sensíveis sonhos de trem

A literatura encerra muitas propriedades, artifícios e situações curiosos. Ainda há pouco escrevi aqui no Posfácio a respeito da literatura de Louis-Ferdinand Céline, escritor francês que realizou a curiosa e triste proeza de, após ter criado uma espetacular obra como … Leia mais

A fuga de Céline

Quando Viagem ao fim da noite foi publicado, em 1932, parecia que a polêmica e o estrondo que seu autor, Louis-Ferdinand Céline, causara não seriam superados tão cedo. O livro angariou tantos admiradores, tanto entusiasmo nas críticas e tanta empolgação … Leia mais

Poesia e sociabilidades

Muito tem sido dito e escrito nos últimos tempos, especialmente nas pesquisas acadêmicas da área das Ciências Humanas, sobre sociabilidades que se desenvolvem nas frinchas da correlação de forças dominante. Sendo impossível ignorar o caráter capitalista que impera em muitas … Leia mais

Vitor Ramil e a literatura gramatical

Espero que encontre eco nos leitores deste texto a minha confissão: apesar de adorar ler desde que me lembro, eu não gostava de gramática. Sinto a necessidade de precisar: em meus tempos de colégio, não conseguia gostar de gramática. Embora … Leia mais

Frutos estranhos

Desde que as vanguardas modernistas entraram em cena causando estardalhaço no início do século XX, as discussões concernentes à arte se tornaram um assunto absolutamente mais complexo e delicado. Novos problemas passaram a ser de consideração obrigatória, muitos artistas passaram … Leia mais

F, por X

Títulos não convencionais costumam me chamar a atenção quando vou a uma biblioteca, um sebo ou uma livraria, tanto que é razoavelmente comum que resolva ler um livro “somente” por causa do título. Não que isso seja uma grande coisa, … Leia mais