A identidade de gênero de Hemingway

Ernest Hemingway é um daqueles escritores lendários. Prêmio Pulitzer em 1953 e Nobel de Literatura em 1954, é parte fundamental do cânone literário, tanto no âmbito da língua inglesa, quanto em âmbito universal. Tão (ou mais) marcante quanto sua literatura … Leia mais

Os sinos dobram por ti, Hemingway

Uma das passagens mais conhecidas da aventurosa vida de Ernest Hemingway foi sua participação num dos processos mais violentos do século XX, a Guerra Civil Espanhola, considerada por muitos como uma espécie de prelúdio para a Segunda Guerra Mundial. O … Leia mais

Dr. Sucinto; ou como parei de me editar e amar a verborragia

“For sale: baby shoes. Never used.” Esse é o melhor trabalho de Ernest Hemingway. Não sou eu quem disse. Ele quem disse, juro. Um desafio numa mesa de bar valendo a rodada. Quantos de nós hoje em dia nos entregamos … Leia mais

A história nos detalhes – Parte III

Dando continuidade às colunas escritas nos dois meses que passaram, quero me deter um pouco sobre um curioso personagem do romance O sol também se levanta, do escritor norte-americano Ernest Hemingway. Publicado em 1926, o romance em questão se tornou … Leia mais

“We’ll always have Caporetto”

A participação e/ou presença em guerras e aventuras marcou a vida do escritor norte-americano Ernest Hemingway. Por conta de sua novelesca vida, boa parte de sua literatura tem um cunho autobiográfico mais acentuado, precisamente porque boa parte de seus romances, … Leia mais

Nobel póstumo, Inferno em números e outros links

Hemingway causando confusão: editoras americana e brasileira brigam pelos direitos de publicação dos e-books; George R. R. Martin fez primeira entrevista para a impressa brasileira, na Biblioteca de Raquel; Como seria a classe de Allen Ginsberg para jovens poetas? Veja … Leia mais

O flâneur da “geração perdida”

Um dos livros que mais claramente nos faz entender porque Gertrude Stein chamou Hemingway, Fitzgerald e outros autores da década de 20 de “a geração perdida” é sem dúvida O Sol também se levanta, de 1926. Nele, a história, os … Leia mais

“Escrever, em seu melhor, é solitário”, escritores não falam mais de sentimentos e outros links

“Escrever, em seu melhor, é solitário”. É o que foi dito por Ernest Hemingway quando recebeu o Nobel (O Oscar da Literatura):

Uma outra perspectiva

Se fosse descrever a subjetividade, uma pessoa poderia evocar a imagem das conhecidas caixinhas mentais — as simplórias caixinhas a partir das quais tem início o processo de filtragem e catalogação da quantidade absurda de informações recebidas diariamente. Não é como se … Leia mais

O velho e o mar (Ernest Hemingway)

A literatura norte-americana da década de 30 teve como uma de suas características o que um crítico da época chamou de “culto ao simples”. Escritores como Erskine Caldwell, John Steinbeck, Upton Sinclair e Sherwood Anderson (considerado o pioneiro do assim … Leia mais

Paris é uma festa (Ernest Hemingway)

Em O apanhador no campo de centeio, Holden Caufield apresenta um critério bastante interessante para se “julgar” um autor: ele diz que os “autores bons” são aqueles para os quais você deseja ligar para bater um papo depois de ter … Leia mais

Gatos Empoleirados – Quem cita o citador?

No metrô de São Paulo existe uma televisão “interna”, chamada TV Minuto, que passa programetes de 15 ou 30 segundos sobre assuntos gerais como: lugares para visitar na cidade, monumentos, eventos culturais e notícias. Contudo, outro dia passou algo bem … Leia mais