Flip is for Fitzgerald

Tem uma hora que a gente precisa se sentar e conversar: essa é a hora. A frase anterior – e algumas das seguintes – foram escritas ainda em Paraty, quando pensei que teria paciência de ficar escrevendo na Casa Posfácio, … Leia mais

Medi uma Flip em abraços

Na crônica “O legado de Kudno Mojesic” – presente no recém-lançado O louco de palestra, de Vanessa Barbara –, a escritora se dá o direito de medir um corso1 de forma inusitada. Coletivo de “carro (em desfile)” que acabo de … Leia mais

Da arte de esquecer

Esqueça o fim do ano. Esqueça os sonhos e as decepções. Esqueça o livro genial que você escreverá no ano que chega. Esqueça o “sim” que você pode receber daquela editora. Ou o “não” que chegará daquela outra. Esqueça a … Leia mais

If you like it then you should put a rainbow on it

Há pelo menos uns três anos que vou a lançamentos e conversas com escritores e quadrinistas e tradutores, eventos que costumam terminar com uma longa (ou nem tanto) fila para autógrafos. Autógrafo de escritor costuma ser legal pelo tempo de … Leia mais

Sobre a possibilidade de redenção

Minha impressão geral é a de que a Flip só começa de fato quando um pernambucano entra em cena. Não nego que o TOC, meu parceiro de todos os dias, me pedia para reconhecer algum elemento de ligação entre o … Leia mais

Melhores Leituras 2012

Com o crescimento da blogsfera literária, e do interesse de editoras e leitores nos blogs sobre livros, uma espécie de tradição tácita surgiu no final de 2008: as melhores leituras do ano. Não eram lançamentos ou clássicos, apenas o melhor … Leia mais