Hotel Savoy

Se você ouvir falar em “geração perdida”, provavelmente vai se lembrar, quase que de cara, dos escritores Ernest Hemingway e F. Scott Fitzgerald. Mas é bastante provável que não se lembre – ou pelo menos não nesse contexto – do escritor … Leia mais

A história nos detalhes – Parte III

Dando continuidade às colunas escritas nos dois meses que passaram, quero me deter um pouco sobre um curioso personagem do romance O sol também se levanta, do escritor norte-americano Ernest Hemingway. Publicado em 1926, o romance em questão se tornou … Leia mais

“We’ll always have Caporetto”

A participação e/ou presença em guerras e aventuras marcou a vida do escritor norte-americano Ernest Hemingway. Por conta de sua novelesca vida, boa parte de sua literatura tem um cunho autobiográfico mais acentuado, precisamente porque boa parte de seus romances, … Leia mais

O flâneur da “geração perdida”

Um dos livros que mais claramente nos faz entender porque Gertrude Stein chamou Hemingway, Fitzgerald e outros autores da década de 20 de “a geração perdida” é sem dúvida O Sol também se levanta, de 1926. Nele, a história, os … Leia mais

Demian (Hermann Hesse)

Demian é definitivamente um livro que indico veementemente a todos e que possui uma sensibilidade humanista para tratar de intricadas questões concernentes ao processo de amadurecimento e do “tornar-se humano” que considero prolíficas para compreender-se enquanto criatura bem como para … Leia mais

Nada de novo no front (Erich Maria Remarque)

Considerar a guerra um marco em que se passariam a usar “antes” e “depois” para situar eventos no tempo não pode ser considerado uma superestimação das mudanças que ela propiciou? Esse é mais ou menos o questionamento que René Remond … Leia mais