Essa é uma história verdadeira aconteceu com o amigo de um amigo meu

em 26 de fevereiro de 2014

F. era cheirosa e nunca teve CC. Ela adora suvacos. Abraça as pessoas aproximando sua narina nas axilas alheias. “Cada pessoa tem seu azedinho.” Ela adorava os odores e quanto mais amigo, mais cafungava. O dia que o seu primeiro CC subiu, quase com 30 anos, odiou.

***

C. era um garanhão de primeira. Esnobava garotas e comia tantas outras. Um dia, sem muita paciência, resolveu comer uma ninfomaníaca que estava atrás dele há tempos. N. era gostosa e fogosa. Os dois transavam feito dois loucos. Só que N., a ninfomaníaca, queria apimentar a relação. Pimenta no cu dos outros é refresco. Preferiu adocicar. Em mãos: um Danete. A ideia: C. lamberia tudinho e acharia um máximo. Fato: ela utilizou a guloseima gelada durante um 69. Na bundinha é melhor.

***

Todos merecem uma segunda chance. C. deu essa segunda chance. Decidiu o dia, a hora e o motel. Parou o carro na garagem do quarto. N. queria mostrar o voo do besouro, nova posição hindu. A feijoada bateu. Correu para o banheiro e cagou, “Tô me preparando para você!”, ela gritou para C., quando, por uma cretinice do destino, descobriu que a descarga estava quebrada. Pegou um saco de plástico, agarrou aquele Nautilus e o jogou pela janela. Exorcizada, tiveram a melhor transa de todos os tempos. C. estava tão extasiado quando comprou seu possante, quase de colecionador. O item mais raro de seu carro, não encontrado em qualquer carro por aí que vale a bagatela de 30.000, um imenso cocô que parecia a Barbara Streisand.

***

D. jogava bola e tocava guitarra. Ele era federado. Em futebol, não em guitarra e muito menos, apenas, na bola. Ao longo de quase seis meses, foi ao parque todo dia para jogar bola. Um dia chegou a sua mãe e disse: “Quero fazer um curso técnico, decidi minha profissão.” A mãe orgulhosa quase chorou, ele fora expulso de 4 colégios e esse era um passo para o amadurecimento. “Mas eu tenho que voltar um ano, porque estamos na metade e eles não aceitam alunos novos no meio do ano.” A mãe acatou e nunca descobriu que seu filho repetiu de ano por faltas, porque resolveu bater uma bola no parque. Também não teria como descobrir que seria expulso no outro ano.

***

Todos têm uma história. Qual a sua? 1

  1. O título dessa coluna é uma referência a Freakie Stories, desenho de humor negro do Cartoon Network.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.