As vicissitudes religiosas de François Mauriac

A fé religiosa pode ser um combustível catártico ímpar, forçando os limites filosóficos e dramáticos da escrita e da imaginação, participando, assim, como uma força verdadeiramente construtiva da literatura. Apesar dos propósitos proselitistas que costumam assolar a fé nas letras, … Leia mais

Jacques, o Fatalista, e seu Amo, de Diderot

Em continuidade à nossa série de textos sobre os clássicos, voltamos agora à França do século XVIII para falar de Jacques, o fatalista, e seu amo. Escrito pelo célebre enciclopedista Denis Diderot, o livro marca a literatura como um cruzamento … Leia mais

O Vermelho e o Negro, de Stendhal

Seguindo com o mês dos clássicos, chegamos a uma narrativa que, de forma consciente, propõe-se a ser o tratado de uma época. Quando foi publicado, O vermelho e o negro trazia o seguinte subtítulo: “crônica do século XIX”, substituído posteriormente … Leia mais

Às avessas (e às direitas também)

Joris-Karl Huysmans não se tornou um escritor controverso, polêmico e celebrado à toa. Verdade seja dita, ele causou um baque estrondoso ao se chocar contra o solo, as questões e as certezas da literatura francesa do final do século XIX. … Leia mais

Um artista às avessas

Há muitos livros que, apesar de uma acolhida intensa por parte do público em um primeiro momento, logo depois caem no esquecimento ou não vão muito além das terras onde foram lançados. Infelizmente, acredito ser este o caso de Às … Leia mais

A arte francesa da guerra e da paz

Todos que leram 1984 devem se lembrar de um dos lemas do Partido: “guerra é paz”. George Orwell, diante da ascensão dos totalitarismos do século XX, seguia aquilo que vinha sendo dito desde o século XIX por muitos acerca da … Leia mais

A fuga de Céline

Quando Viagem ao fim da noite foi publicado, em 1932, parecia que a polêmica e o estrondo que seu autor, Louis-Ferdinand Céline, causara não seriam superados tão cedo. O livro angariou tantos admiradores, tanto entusiasmo nas críticas e tanta empolgação … Leia mais

As fábulas de La Fontaine

Permitam-me iniciar essa resenha com uma nota pessoal: sou um admirador semicontido de ditos populares. Já ouvi muito ser dito a respeito de serem eles chavões, frases feitas ou expressões tão gastas que perderam seu sentido, mas não consigo deixar … Leia mais

Raymond Radiguet: o amor entre o bem e o mal

No caso de um escritor de vida tão breve como o Raymond Radiguet (1903-1923), retratado por Man Ray na foto acima, parece estranho falar de “obra prima”, porém é assim que é tratada a novela O diabo no corpo (1923), … Leia mais

Proust entre a realidade e a ficção

Marcel Proust (1871-1922) é uma leitura de sempre e de muitos, mas não é exatamente um autor fácil. Todos já buscaram defini-lo, desde seus amigos, como André Gide, que recepcionaram os sete volumes de Em busca do tempo perdido, até … Leia mais

Balzaquices e maríatribes ou As entranhas históricas dos personagens

Há algum tempo que eu vinha pensando em falar sobre esses dois livros e as incontáveis reviravoltas da história que se interpõem entre eles. A ideia surgiu como uma espécie de convite por parte do próprio autor de um dos … Leia mais

O coronel Chabert (Honoré de Balzac)

Balzac é um dos mais conhecidos nomes da literatura francesa e universal, tanto por seu talento em retratar com vivacidade e apuro os costumes de um período como também por sua prolífica produção – basta dar uma olhada no volume … Leia mais