Todos os prêmios para Ann Leckie

No último domingo saíram os vencedores do Hugo, um dos principais prêmios da ficção científica, e sem muita surpresa Ancillary Justice levou mais uma vez. Com isso, a escritora Ann Leckie terá que abrir espaço na prateleira, afastando um pouco … Leia mais

Os ásperos e sensíveis sonhos de trem

A literatura encerra muitas propriedades, artifícios e situações curiosos. Ainda há pouco escrevi aqui no Posfácio a respeito da literatura de Louis-Ferdinand Céline, escritor francês que realizou a curiosa e triste proeza de, após ter criado uma espetacular obra como … Leia mais

Vício Inerente

O meu interesse imediato por Vício inerente, além do flerte com a vulgaridade e humor de Pynchon, deu-se porque um dos meus diretores favoritos, Paul Thomas Anderson, levará aos cinemas a história de Doc Sportello. Com um elenco competente (inclua … Leia mais

Memórias beatniks

Creio já ser do conhecimento de um número bastante expressivo de leitores aquela discussão sobre as várias camadas que formam a obra literária e como o mesmo livro, lido por pessoas diferentes, pode “funcionar” de formas distintas – alguns, inclusive, chamam … Leia mais

A vida é impossível

por Thiago Souza de Souza [1] Minha motivação para ler Extremamente alto & incrivelmente perto era a mais evidente possível: me identificar com Oskar, um menino de oito anos que perdeu o pai no atentado ao World Trade Center naquele tenebroso … Leia mais

Os sinos dobram por ti, Hemingway

Uma das passagens mais conhecidas da aventurosa vida de Ernest Hemingway foi sua participação num dos processos mais violentos do século XX, a Guerra Civil Espanhola, considerada por muitos como uma espécie de prelúdio para a Segunda Guerra Mundial. O … Leia mais

O último dos magnatas, por F. Scott Fitzgerald

Tenho um apreço especial pela obra do escritor norte-americano Francis Scott Key Fitzgerald. Foi através de uma indagação após a leitura de O grande Gatsby que experimentei um dos turning points de minha obsessão com os clássicos. Explico-me: quando terminei … Leia mais

Patti e Robert ou Só garotos

Alguns escritores têm vidas tão interessantes quanto as histórias de seus romances e escritos. Como exemplo disso, podemos citar Hemingway e London, que viveram tantas aventuras quanto os personagens de suas histórias. Mas existem também escritores que, por mais que … Leia mais

Crack, nem pensar (ou como é difícil ficar limpo por noventa dias)

Terminei a resenha de Retrato de um viciado quando jovem lamentando que Bill Clegg não narrava no livro seus dias de recuperação. Mas eu não sabia, ou havia ignorado, que o agente literário de Nova York reservaria esta história para … Leia mais

McTeague – Tempos de ganância

O realismo nos Estados Unidos iniciou-se em meados do século XIX, e representou para a literatura norte-americana a introdução de novos ares e novas questões, que vinham para contemplar na ficção os problemas que eram enfrentados na arena histórica daquela … Leia mais

“We’ll always have Caporetto”

A participação e/ou presença em guerras e aventuras marcou a vida do escritor norte-americano Ernest Hemingway. Por conta de sua novelesca vida, boa parte de sua literatura tem um cunho autobiográfico mais acentuado, precisamente porque boa parte de seus romances, … Leia mais

Criação: a cosmogonia filosófica e política de Gore Vidal

Já tive oportunidade de explicar minhas impressões iniciais acerca do romance histórico na resenha que fiz sobre o livro História do cerco de Lisboa, do escritor português José Saramago, e não quero ficar me repetindo nesse sentido. Neste texto, portanto, … Leia mais