A vida privada das árvores

Longe de mim comparar o chileno Alejandro Zambra 1 a Juan Rulfo, mas é interessante constatar como o primeiro – um dos selecionados para a Granta Hispano-Americana – condensa tantas emoções, passagens e personagens numa história sucinta como a do … Leia mais

As agruras do verdadeiro tira (Roberto Bolaño)

A obra de Roberto Bolaño é empolgante e sufocante. A cada nova leitura (ou releitura) há uma descoberta familiar. É como se lêssemos o mesmo livro inacabado diversas vezes e ele se transformasse diante de nossos olhos, contendo uma familiaridade … Leia mais

Uma outra perspectiva

Se fosse descrever a subjetividade, uma pessoa poderia evocar a imagem das conhecidas caixinhas mentais — as simplórias caixinhas a partir das quais tem início o processo de filtragem e catalogação da quantidade absurda de informações recebidas diariamente. Não é como se … Leia mais

Bonsái (Alejandro Zambra)

Quando um bom autor surge, publicado pela primeira vez em língua portuguesa, é comum que as reações sejam superlativas. Isso é especialmente verdade quando o escritor se encaixa em algum nicho literário que anda recebendo atenção especial da mídia especializada. … Leia mais

Monsieur Pain (Roberto Bolaño)

Há uma estranha sensação ao começar a folhear Monsieur Pain, de Roberto Bolaño, lançado pela Companhia das Letras em julho. A familiaridade com a obra do escritor chileno se perde nesse labirinto investigativo e ocultista – o que é uma … Leia mais

Putas Assassinas (Roberto Bolaño)

Um homem fala sobre os filmes pornográficos de vanguarda dos quais sua mãe participou- incluse enquanto estava grávida dele. Um exilado chileno vivendo no underground homossexual indiano. Um homem relatando como é estar morto e que, depois da morte, sofre … Leia mais

Estrela distante (Roberto Bolaño)

Adentrei no universo “bolañesco” através das sendas desconhecidas de Estrela distante, tão curioso quanto temeroso, já que avançava sob a sombra do monstro da expectativa. Porém, como o Pips acertadamente me disse, Bolaño é um monstro bem maior que a expectativa.

A poesia de Roberto Bolaño

Não sei o que o escritor chileno Roberto Bolaño pensaria a respeito de todo o frisson que existe ao seu redor. Pela natureza de sua obra- com todo o conteúdo que vai contra o estabilishment literário- acho que talvez ele … Leia mais

O Terceiro Reich (Roberto Bolaño)

Lembro que após ler Cem anos de solidão, reli o prefácio – que não dei atenção na primeira lida– e encontrei algo interessante frisado por Rinaldo Gama ao falar sobre uma citação de Gabriel García Márquez. De acordo com Gama, … Leia mais

Llamadas Telefónicas (Roberto Bolaño)

No universo onde o arquiteto é o escritor chileno Roberto Bolaño não há limites. Seus personagens, espaços, obsessões e manias estão presentes no, ainda inédito no Brasil, “Llamadas Telefónicas” que surge para costurar situações e personagens conhecidas para quem leu … Leia mais

2666 (Roberto Bolaño)

O ano de 2010 foi o ano de Roberto Bolaño no Brasil. Apesar de ter alguns livros já lançados em território tupiniquim, dentre eles Estrela Distante, Noturno do Chile, Os Detetives Selvagens, Putas Assassinas, Amuleto, foi em 2010 que chegou … Leia mais