Partir (Tahar ben Jelloun)

em 8 de dezembro de 2010

O marrocos dos anos 1990 podia ser tudo, menos uma terra de promessas, de oportunidades. E é por isso que o sonho de boa parte de seus jovens era ir embora. Na Europa eles viam a salvação, a única chance de escapar da pobreza e da opressão.

É o caso de Azel. Bacharel em direito, ele não encontra emprego, vivendo as custas de sua irmã, Kenza. Ele passa os dias sonhando em cruzar o mediterrâneo e chegar à Espanha. Depois a França, quem sabe. Mas suas chances são pequenas. Ainda mais quando ele arranja problemas com um poderoso traficante.

Mas sua sorte muda ao ser resgatado por Miguel, um rico homossexual espanhol que tem Azel como o alvo de seu desejo. Resistente de início, Azel deixa suas convicções de lado em nome da chance de ir embora de seu país natal e de mudar de vida.

Assim começa o romance ‘Partir’, do marroquino Tahar bem Jelloun. Mas Azel não é o único foco do livro; a cada capítulo diferentes personagens, cujas vidas de algum modo tangenciam a de Azel, sonham em ir para a Europa e mudar de vida.

‘Partir’ não é uma história sobre mudança, sobre esperança. Até porque dificilmente essa seria a realidade dos imigrantes magrebinos na Europa. Jelloun nos conta sobre a frustração dos sonhos e a derrocada da esperança, sobre pessoas desesperadas quem assistem suas únicas esperanças afundarem.

Do óbvio destino desses imigrantes- legais e ilegais- o autor tira o inusitado e surpreende. Mostra outros mundos que existem por baixo de uma sociedade que aparenta ser um ideal, outros mundos cheios de preconceito e ódio, cheios de tristeza.

O próprio Jelloun deixou o Marrocos, apesar de seus motivos terem sido diferentes, assim como sua sorte. De qualquer maneira ele entende o que é ser um exilado, o que é estar longe de uma terra que, aparentemente, se ama e se odeia.

DISCUTA O POST NO FORUM DO MEIA-PALAVRA

Saiba mais sobre essa e outras obras no site do Grupo Editorial Record

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.