Wysława Szymborska é uma poeta polonesa, prêmio Nobel de Literatura de 2006. É uma das vozes mais expressivas da poesia polonesa do século XX, ao lado de nomes como Czeslaw Miłosz, Tadeusz Rożewicz, Adam Zagajewski e Zbigniew Herbert. São nomes bastante heterogêneos, diga-se de passagem. O que os une é apenas a poesia, a nacionalidade polonesa e, à excessão de Zagajewski, o fato de terem vivenciado a Segunda Guerra Mundial.

Considerando tais credenciais, de forma alguma irrelevantes, e o fato de ela não ser totalmente desconhecida no Brasil, era de se estranhar que, até o momento, não houvesse nenhuma coleção de seus poemas publicada – haviam poemas esparsos em algumas revistas literárias e antologias (como a ‘Quatro Poetas Poloneses’, em que figuram Szymborska, Milosz, Rozewicz e Herbert), mas nenhum material que focasse com exclusividade no trabalho dela.

Eis que a Companhia das Letras resolve essa ausência lamentável, publicando a coletânea bilíngue ‘Poemas’, organizada e traduzida pela professora Regina Przybycien – curitibana que, atualmente, leciona na Universidade Iaguelônica de Cracóvia.

Estão presentes quarenta e quatro poemas, que cobrem quase toda a carreira da escritora – exceto seus dois primeiros livros, Dlaczego zyemy (‘Por isso vivemos’, de 1952) e Pytania zawadanie sobie (‘Perguntas feitas a mim mesma’, de 1954), escritos ainda sob a égide do realismo soviético.

Os poemas de Szymborska são material de primeira: com um palavreado absurdamente simples abordam temas densos, filosóficos, conseguindo unir em uns poucos versos reflexão e ironia. Não escapam à sua pena afiada as guerras, a arte poética, a condição da mulher e nem mesmo a relação do ser humano com o vasto universo que o rodeia.

Isso, é claro, oferece um material dificílimo para a tradução. É difícil manter a profundidade sagaz dos poemas de Szymborska sem elevar o tom da enunciação. Przybycien, no entanto, o fez com maestria – os poemas traduzidos mantém um registro cotidiano, mas, tal qual os originais, encantam com suas imagens profundas e capazes de sucitar reflexões.

Soma-se ainda a introdução escrita pela tradutora, em que ela explicita alguns detalhes do processo de transcrição dos poemas do polonês para o portugues, além de apresentar a obra de Wysława Szymborska.

O único defeito do livro foi terem sido separadas as traduções e as versões em polonês – ao contrário do que é costumeiro em edições bilíngues, em que os poemas no idioma original ficam lado a lado com as traduções, foram postos primeiro todos os poemas traduzidos para, no fim do livro, colocaram-se todos os originais. Um tanto incômodo para quem quer ler ambos e compará-los, mas nada que diminua a importância da publicação.

Poemas

de Wysława Szymborska

tradução de Regina Przybycien

168 páginas

R$ 39,50

Saiba mais sobre essa e outras obras no site da Companhia das Letras