Memórias beatniks

Creio já ser do conhecimento de um número bastante expressivo de leitores aquela discussão sobre as várias camadas que formam a obra literária e como o mesmo livro, lido por pessoas diferentes, pode “funcionar” de formas distintas – alguns, inclusive, chamam … Leia mais

Knåusgard, por ele mesmo

A expectativa é, muitas vezes, mais um combustível para a decepção do que um antegozo – daí, inclusive, que derivam boa parte dos conselhos sobre aproveitar o caminho tanto quanto (ou mais) do que o destino. Minha leitura de Um outro … Leia mais

As máximas de La Rochefoucauld

A leitura de Reflexões ou Sentenças e máximas morais, de François VI, duque de La Rochefoucauld (1613-1680), chama a atenção por vários motivos, dentre os quais gostaria de destacar um como o eixo de questionamento da presente resenha: que tipo … Leia mais

50 Anos do Golpe – Sugestões de leitura (Parte II)

Dando continuidade, pois, à lista de indicações de leitura iniciada ontem, vem a segunda parte dela. Aproveita-se, nesse sentido, não somente para fracionar uma lista longa em duas partes, mas o timing do golpe, o qual é tratado por alguns … Leia mais

50 Anos do Golpe – Sugestões de leitura (Parte I)

No intuito de lembrar os 50 anos do golpe militar (lembrar para que não nos esqueçamos), selecionei algumas obras de literatura que podem servir como porta de entrada para compreender diferentes aspectos, situações e eventos referentes não só ao golpe … Leia mais

As leis (da transposição) da fronteira, por Javier Cercas

Em praticamente todos os eventos acadêmicos de que participei e que contavam com a presença de pesquisadores do campo da História e do campo de Letras, a problemática por excelência é o possível diálogo entre os dois campos do saber. … Leia mais

Medo, reverência, terror e erudição

Entre os nomes que mais se destacam na cenário da historiografia contemporânea certamente poder-se-ia incluir o historiador italiano Carlo Ginzburg. E as razões que justificariam esse destaque estão, boa parte delas, ligadas a sua empreitada mais célebre, O queijo e … Leia mais

Os sinos dobram por ti, Hemingway

Uma das passagens mais conhecidas da aventurosa vida de Ernest Hemingway foi sua participação num dos processos mais violentos do século XX, a Guerra Civil Espanhola, considerada por muitos como uma espécie de prelúdio para a Segunda Guerra Mundial. O … Leia mais

O trigo, o joio e o neorrealismo de Namora

Todo o ano alguma grata surpresa nos aguarda em meio às infinitas possibilidades de leitura. Se em um ano descobrimos um Camilo José Cela, no outro viemos a descobrir um João Antonio, e em outro um Mario Benedetti. Independente de … Leia mais

A poesia dos Passos

Praticar poesia não é tarefa fácil. Ela parece alimentar-se da espontaneidade em seu mais puro espírito, mas quais significados planejadores não se escondem por detrás da palavra “metrificação”? Ao mesmo tempo, se concebida somente em termos de números de sílabas, … Leia mais

O último adeus de Artemis Fowl

Cada leitor tem suas próprias manias quando o assunto é leitura e livros, não sendo eu, portanto, uma exceção: confesso que me dá um nervoso quando demoro demais para ler um livro. É claro que levo em consideração a espessura … Leia mais

Pequenas escrituras de Raduan Nassar

Olhando para aquilo que Raduan Nassar produziu no período em que se dedicou à literatura, não é possível deixar de lamentar – respeitosamente – sua decisão de não mais escrever. Depois de ter nos presenteado com os terrivelmente belos Um copo de … Leia mais