Contos húngaros (trad. e org. Paulo Schiller)

Apesar de existentes, meus conhecimentos a respeito da Hungria são um tanto quanto parcos: sei onde fica (no coração da Europa Centro-Oriental), sei que é composta por várias etnias (húngaros, sérvios, croatas, romenos, judeus, ciganos, eslovacos…) mas que sua etnia … Leia mais

Um apanhado de James Joyce

por Caetano Waldrigues Galindo Dúvida? Então confere aí: 1. Quem é James Joyce? – O maior escritor depois de Shakespeare. 2. Quem foi que disse? – Eu. Mais um monte de gente. E até o Bloom, aquele, o Harold, o … Leia mais

Contos Essenciais: A Pensão (James Joyce)

Um dos maiores méritos de Dublinenses, e o que ironicamente foi visto como maior defeito à época da publicação, é a visão crua de James Joyce sobre a cidade. Mesmo que você, caro leitor, não seja um entusiasta da história … Leia mais

Nos cumes do desespero (Emil Cioran)

Eu já li os argumentos mais absurdos a respeito do que nos separa dos outros animais: a razão, uma alma, a moral, nossa capacidade para o preconceito e para a violência, etc. Cada um deles é completamente válido e completamente … Leia mais

A fábrica de robôs (Karel Tchapek)

A palavra “robô” é, hoje em dia, parte integrante da cultura popular do mundo inteiro, além de ter sido integrada a uma série de vocabulários técnicos. E eles já até existem, mesmo que ainda bem distantes daquilo que vemos nos … Leia mais

A Cruzada das Crianças / Vidas Imaginárias (Marcel Schwob)

Existem livros que, quando chegam ao final, deixam uma forte marca na memória. Não entendo muito de vinhos, mas existem livros que perduram por longo tempo na recordação do leitor, livros tão fortes que ultrapassam as suas barreiras físicas e … Leia mais

A Nostálgica e outros contos (Alexandros Papadiamántis)

Alexandros Papadiamántis foi um dos mais influentes escritores da prosa neogrega. Escrevendo na segunda metade do século XIX, um tempo em que a identidade nacional da Grécia começava a sedimentar-se – e os ideais do romantismo começavam a arrefecer –, … Leia mais