Knåusgard, por ele mesmo

A expectativa é, muitas vezes, mais um combustível para a decepção do que um antegozo – daí, inclusive, que derivam boa parte dos conselhos sobre aproveitar o caminho tanto quanto (ou mais) do que o destino. Minha leitura de Um outro … Leia mais

O verdadeiro personagem é o autor

“Com uma história dessas, o sujeito é forçado a virar um gênio. Ou isso, ou ele acaba rindo. Trancado num quarto de paredes espessamente estofadas pelo Estado.” É assim, na introdução de A lanterna mágica, que Woody Allen define seu … Leia mais

Mudança: a China de Mo Yan

As abordagens de uma obra literária são tão várias quanto são as pessoas e suas opiniões acerca dela. Embora haja quem defenda que todas as leituras são possíveis, não consigo deixar de pensar que, se não existem minimamente parâmetros e … Leia mais

Proust entre a realidade e a ficção

Marcel Proust (1871-1922) é uma leitura de sempre e de muitos, mas não é exatamente um autor fácil. Todos já buscaram defini-lo, desde seus amigos, como André Gide, que recepcionaram os sete volumes de Em busca do tempo perdido, até … Leia mais

Gatos Empoleirados – Uma biografia, por favor.

Outro dia estava pensando sobre como seria a história que contariam sobre a mim. Como eu seria descrito em personalidade e características ou qual lado gostariam de exaltar para contar a minha trajetória. Quais aspectos seriam deixados de lado para … Leia mais

Persépolis (Marjane Satrapi)

Marjane Satrapi nasceu no Irã no ano de 1969, e cresceu na monarquia do Xá, um governo ditatorial e opressor. Com 10 anos de idade, entre 1979 e 1980, sofreu as mudanças drásticas do regime, que passou a ser liderado … Leia mais

Der blaue Himmel (Galsan Tschinag)

Der blaue Himmel é um livro peculiar desde seu começo. Seu autor nasceu na Mongólia, sendo de um dos inúmeros povos túrquicos nômades e animistas que habitam as planícies da Ásia Central, os Tuvan. Escreve, porém, em alemão. Não apenas … Leia mais

Retrato de um viciado quando jovem (Bill Clegg)

DIÁRIO DA RUÍNA Você já fumou crack? Eu nunca fumei crack. Pessoalmente, nunca curti esse lance de drogas, nem sinto vontade de experimentar nada mais forte que um uísque ou mais viciante que café. Mas talvez você, leitor, aprecie drogas … Leia mais

A Pessoa Em Questão – Vladimir Nabokov

O objetivo da eternidade é buscar sua autoafirmação na memória, e o objetivo da memória é o de existir sem a busca incessante da eternidade. Proust digladiava-se numa busca constante a um tempo perdido, um tempo passado, escrito, dito, etc … Leia mais