Um pequeno Finn de Joyce

Nos últimos tempos, no Brasil, felizmente acompanhamos uma retomada feroz de leituras da obra de James Joyce. Em parte, trata-se de um fenômeno social derivado do campo jurídico: a obra do autor irlandês entrou em domínio público em 2012, o … Leia mais

A arte francesa da guerra e da paz

Todos que leram 1984 devem se lembrar de um dos lemas do Partido: “guerra é paz”. George Orwell, diante da ascensão dos totalitarismos do século XX, seguia aquilo que vinha sendo dito desde o século XIX por muitos acerca da … Leia mais

Kundera strikes again!

É realmente muito bom ver que Milan Kundera, depois de dez anos sem publicar livros de ficção, still got it. O espaço de tempo decorrido desde sua última publicação, como é de praxe, foi sendo preenchido por um conjunto de … Leia mais

O pintassilgo

O pintassilgo chegou às livrarias brasileiras há pouco menos de uma semana, após muito barulho no exterior. Não à toa, é claro: ficou quase um ano na lista de mais vendidos do New York Times, foi vencedor do Pulitzer – e … Leia mais

Os ásperos e sensíveis sonhos de trem

A literatura encerra muitas propriedades, artifícios e situações curiosos. Ainda há pouco escrevi aqui no Posfácio a respeito da literatura de Louis-Ferdinand Céline, escritor francês que realizou a curiosa e triste proeza de, após ter criado uma espetacular obra como … Leia mais

A fuga de Céline

Quando Viagem ao fim da noite foi publicado, em 1932, parecia que a polêmica e o estrondo que seu autor, Louis-Ferdinand Céline, causara não seriam superados tão cedo. O livro angariou tantos admiradores, tanto entusiasmo nas críticas e tanta empolgação … Leia mais

Fragmentos de uma paixão por inteiro

Diria, se não conhecesse o livro, que A paixão é o título de um romance açucarado, daqueles de banca de jornal destinado às boas moças casamenteiras. Imagino um livro no qual se conta a história de uma mulher jovem que … Leia mais

Uma casa na escuridão: romance gótico?

Sempre nos referimos, hoje em dia, a alguém como “gótico” quando se veste com roupas pretas e cultiva gostos ou hábitos que parecem macabros ou profanos de algum modo. Além de, claro, gostar do que chamamos de gótico musicalmente, sendo … Leia mais

Vício Inerente

O meu interesse imediato por Vício inerente, além do flerte com a vulgaridade e humor de Pynchon, deu-se porque um dos meus diretores favoritos, Paul Thomas Anderson, levará aos cinemas a história de Doc Sportello. Com um elenco competente (inclua … Leia mais

Memórias beatniks

Creio já ser do conhecimento de um número bastante expressivo de leitores aquela discussão sobre as várias camadas que formam a obra literária e como o mesmo livro, lido por pessoas diferentes, pode “funcionar” de formas distintas – alguns, inclusive, chamam … Leia mais

Knåusgard, por ele mesmo

A expectativa é, muitas vezes, mais um combustível para a decepção do que um antegozo – daí, inclusive, que derivam boa parte dos conselhos sobre aproveitar o caminho tanto quanto (ou mais) do que o destino. Minha leitura de Um outro … Leia mais

As leis da fronteira

O verão de 1978 foi atípico para Ignacio Cañas, um jovem catalão da classe média, na cidade de Girona. De um adolescente com uma rotina normal, com amigos da escola e uma família tradicional, ele terminou o ano letivo sendo … Leia mais