Herberto Helder se foi, mas fica

“Se um dia destes parar não sei se não morro logo” é o começo de um dos poemas do último livro de Herberto Helder, falecido nesta segunda-feira, em Cascais, Portugal. Com certeza, foi dos escritores mais prolíficos e valiosos da … Leia mais

José Luís Peixoto dentro e fora da Coreia do Norte

Às vezes, na vida, uma obsessão particular pode nos fazer tomar decisões que assustam os outros, mas que são necessárias para nos satisfazer de algum modo. É o que fez José Luís Peixoto em 2012: “Propus-me a ir à Coreia … Leia mais

Fragmentos de uma paixão por inteiro

Diria, se não conhecesse o livro, que A paixão é o título de um romance açucarado, daqueles de banca de jornal destinado às boas moças casamenteiras. Imagino um livro no qual se conta a história de uma mulher jovem que … Leia mais

Uma casa na escuridão: romance gótico?

Sempre nos referimos, hoje em dia, a alguém como “gótico” quando se veste com roupas pretas e cultiva gostos ou hábitos que parecem macabros ou profanos de algum modo. Além de, claro, gostar do que chamamos de gótico musicalmente, sendo … Leia mais

José Luís Peixoto: o livro que volta a ser livro

Um livro que se chama Livro: esse é o romance de José Luís Peixoto lançado em 2010 em Portugal. Muitas hipóteses podem ser feitas pelo leitor acerca do título. Poderia ser um romance sobre a história do livro, ou ainda … Leia mais

O trigo, o joio e o neorrealismo de Namora

Todo o ano alguma grata surpresa nos aguarda em meio às infinitas possibilidades de leitura. Se em um ano descobrimos um Camilo José Cela, no outro viemos a descobrir um João Antonio, e em outro um Mario Benedetti. Independente de … Leia mais

Felizmente, no mundo, existe o absinto

Em algum lugar existe um bairro habitado pelos grandes nomes da literatura. O Sr. Cortázar vive no mesmo prédio que o Sr. Gógol, o Sr. Melville e o Sr. Henri. Na construção ao lado, encontramos o Sr. Kraus e o … Leia mais

Ascensão e queda do rei – mas não do reino – de Gonçalo M. Tavares

Como texto final sobre a série romanesca “O reino”, de Gonçalo M. Tavares, pensei em fazer uma recapitulação da minha leitura. Tentei ser sistemático apesar de não ter começado o sendo; iniciei a série pelo terceiro volume. Não se trata … Leia mais

Joseph Walser e as máquinas da guerra

“As máquinas de guerra vêm aí, mas não tenha medo. O problema não são as máquinas que se aproximam da cidade, são as máquinas que já aqui estão. (p. 15)” No segundo livro da tetralogia “O reino”, A máquina de … Leia mais

Margo, Sandokan & Bakunine

Creio que o que primeiro chama a atenção no romance de Bruno Margo é o título. A pergunta que o segue é aquela que questiona qual é o ponto de intersecção entre duas figuras tão distintas como Sandokan – um personagem … Leia mais

Klaus Klump: um homem entre tantos outros

Pelos tempos da Segunda Guerra Mundial, a publicação de obras contra regimes totalitários evidenciava todo o cunho fascista de todas as ações dos governos envolvidos, especialmente na Alemanha e na União Soviética. Logo depois, já no pós-guerra, escritores vários nos … Leia mais

A caverna contemporânea

Creio que a quantidade de resenhas dos livros do Saramago publicadas por mim aqui no Posfácio seja indício do quanto eu admiro a literatura do escritor português. Em cada uma das resenhas ressaltei alguma característica da escritura saramaguiana que me … Leia mais