Livros sobre Distopias

Considerando que trata-se de uma antítese da utopia, a distopia carrega consigo todos os valores negativos que se poderia imaginar em uma sociedade. O governo de uma distopia normalmente é totalitário e valores como a liberdade e a identidade são itens de museu. Por conta dessas questões, a distopia surge na literatura como uma fonte de crítica a muitos dos elementos que a sociedade contemporânea traz, através de situações mais hiperbólicas chama a atenção para problemas que alguns preferem não questionar.

A distopia na literatura não é algo recente, especialmente se considerarmos que mesmo A Máquina do Tempo de H.G. Wells pode se enquadrar como tal. É bastante explorada no campo da ficção científica, mas pode aparecer em outros gêneros, como a fábula A Revolução dos Bichos, de Orwell. A partir de um número vasto de obras que trazem o tema, escolhemos algumas para quem deseja embarcar nessa visão crítica do que podemos ser (ou do que já somos).

Leia mais

Livros que marcaram nossa infância

Ou nossa adolescência – porque todo adolescente vira criança no dia 12 de outubro para também ganhar presente. Já fizemos um Indica de livros infantis, infantojuvenis, mas dessa vez é diferente – não queremos ser repetitivos. A equipe do Meia Palavra não vai apenas indicar boas obras, mas falar de livros que marcaram sua infância, e não são necessariamente histórias para crianças. São livros que tivemos a sorte de ter em mãos e, por algum motivo, deixaram aquela lembrança boa dos tempos de meninice e nos marcaram de alguma forma – a partir deles estabelecemos nossas preferências literárias, ou descobrimos coisas novas, ou simplesmente vimos que ler é bacana.

Para o Dia das Crianças, então, vamos ser nostálgicos e lembrar desses livros que lemos e relemos na nossa infância! Leia mais

Livros de Jornalistas

No último dia 08 de setembro foi comemorado o Dia Internacional do Jornalista ((O Dia Nacional do Jornalista é comemorado no dia 07 de abril)). Homens e mulheres habilidosos com as palavras e capazes de retratar história que marcam gerações através de jornais, revistas, sites, blogs e, por que não, livros. Ter a escrita como profissão pode ajudar na composição de uma obra, mas não são todos que mergulham nessa árdua atividade. Aqueles que se arriscam são por puro amor, pois a construção de um livro leva tempo, anos de pesquisa, entrevistas e organização para colocar tudo no papel, de forma organizada, seja para uma obra de ficção ou não-ficção. Muitos são aqueles que se arriscam na área literária, como Mauricio de Sousa ((Mauricio de Sousa começou sua carreira como jornalista policial)), Machado de Assis e Luis Fernando Veríssimo, assim como outros que se dedicam aos livros-reportagem, como Mirian Leitão, Andréa Ascensão, John Reed entre outros. Independente da forma, o Meia Palavra comemora o Dia do Jornalista com a indicação de alguns jornalistas que se aventuraram na tarefa de construir um livro e nos presentearam com ótimas e inesquecíveis obras:

Leia mais

Livros com crimes

Algo que pode tornar qualquer enredo mais interessante, um crime vem quase sempre acompanhado de mistério. Aparecem na Literatura de diversas maneiras, ora óbvias e parte principal da trama (como acontece nas histórias de Sherlock Holmes escritas por Sir Arthur Conan Doyle), seja como uma espécie de combustível para impulsionar a narrativa (e aí os exemplos são inumeráveis, começando desde o rapto de Helena de Tróia n‘A Ilíada de Homero até o jogo de gato e rato entre Chigurh e Moss em Onde os fracos não tem vez de Cormac McCarthy). É presença tão constante em livros que chega ser difícil não lembrar do ator em Rosencrantz and Guildenstern Are Dead dizendo: Bem, nós podemos fazer para você sangue com amor sem a retórica, e podemos fazer sangue e retórica sem o amor, e podemos fazer os três ao mesmo tempo ou consecutivamente. Mas não podemos oferecer amor e retórica sem o sangue. Sangue é compulsório. Eles adoram sangue, compreende? Confira agora a seleção que a equipe do Meia Palavra fez de livros com crimes.

Leia mais

Livros de Roberto Bolaño

Roberto Bolaño nasceu em Santiago no dia 28 de abril de 1953 e faleceu em 15 de julho de 2003.  Entre suas principais obras estão Putas Assassinas, Amuleto, A Pista de Gelo, Os detetives selvagens e o póstumo 2666 – romance que lançou a Bolañomania. Para um escritor de língua estrangeira é um desafio homérico figurar entre os livros mais vendidos na terra do Tio Sam, a obra 2666 conseguiu vender mais de 75 mil exemplares e, em novembro de 2008, figurava entre os melhores livros lançados naquele ano. Os detetives selvagens é constantemente comparado a magnum opus de Julio Cortázar, O jogo da amarelinha. Política, drogas e literatura são os principais ingredientes de um gênero policial escrito por Bolaño. Para celebrar esse verdadeiro fenômeno, escolhemos o dia da sua morte – precoce – para indicar os livros desse escritor que será falado por muitas décadas (e se não se convencer, que tal dar uma olhada no guia montado por Antônio Xerxenesky?)

Leia mais

Livros Adaptados para o Cinema

Adaptar livros para o cinema não é nenhuma novidade, inclusive parece carregado de certo modismo nos dias de hoje. Porém, o filme adaptado nunca é uma cópia fiel do livro devido a uma série de fatores como estilo da narrativa, nível de detalhes, visão do roteirista e diretor, entre outros. Talvez o primeiro livro adaptado para o cinema seja Alice no país das maravilhas – Lewis Carrol – em 1903, um filme curto de apenas 8 minutos. Mas o fato é que desde então muitos outros títulos literários seguiram o mesmo caminho, sempre carregados pela discussão em torno das adaptações: “Esse filme é melhor que o livro?”. O que não se pode negar é a curiosidade que um filme adaptado gera em torno do título literário, seja para os cinéfilos pelo livro que originou o filme ou pelas traças leitoras e sua curiosidade acerca do trabalho do diretor e roteirista. Independente do motivo, nós preparamos uma seleção com nove indicações de livros que foram parar na telona.

Leia mais

Livros para os enamorados

Presentear é uma prática comum no mundo todo, principalmente em datas comemorativas como o próximo dia 12 de junho, mais conhecido para o público brasileiro como o dia dos namorados. Fugindo da discussão sobre datas, nós do Meia Palavra decidimos nos ater a prática da celebração desse dia, indicando livros de amor e todas suas variações. Afinal, quem disse que apenas livros românticos contém o espirito que celebra o dia dos namorados? Assim, preparamos uma selação de livros que apresentam o lado melancólico, platônico, sedutor e apaixonante das histórias de amor.

Leia mais

Contos Latino Americanos

Uma das melhores formas para se conhecer um escritor é através de seus contos. O conto é uma forma narrativa de menor extensão, menor que romance, novela e maior que uma crônica (existem controvérsias, é claro). Na América Latina existem contistas reconhecidos mundialmente como Cortázar na Argentina, Quiroga no Uruguai, Guimarães Rosa no Brasil, entre tantos outros. A equipe Meia Palavra reuniu alguns nomes de diversos países para que os leitores conheçam grandes autores latinoamericanos através de seus contos. Há contistas da Argentina, Guatemala, Colômbia, Chile, Paraguai, Uruguai, México, Peru e Cuba. A data é significativa também. No dia 25 de Maio comemora-se a Revolução de Maio que marca a luta pela independência argentina da Espanha.

Leia mais

Livros de Philip K. Dick

O argentino Jorge Luis Borges já havia profetizado que depois da transformação do conto policial, de sua promoção de gênero menor à categoria central da literatura do século XX, chegaria o dia em que a ficção científica sofreria também a sua transmutação, exibindo todo o seu potencial através de uma futura geração de escritores. Não seria exagero dizer que esse futuro iniciou-se já nos anos 1960, talvez sem o conhecimento de Borges, quando Philip K. Dick, ele próprio um leitor voraz de Ficções, escreveu boa parte de suas grandes obras: O Homem no Castelo Alto, Dr. Bloodmoney, Ubik, Blade Runner (cujo título original – genial! – é Do Androids Dream with Eletric Sheeps?) e outros.

Nos últimos anos sua obra tem sido relançada aqui no Brasil, em boa parte graça à excelente iniciativa da Editora Aleph. Como forma de apoiar esse projeto, incentivando a publicação de vários títulos ainda inéditos em nosso país (Dr. Bloodmoney e A Transmigração de Timothy Archer são nossas sugestões!), a equipe do Meia Palavra resolveu percorrer seus contos e romances para apresentar alguns dos infinitos motivos para ler esse escritor, admirado por gente como Roberto Bolaño, Rodrigo Frésan e Ursula Le Guin. Leia mais

Livros para o Natal

O Natal é comemorado anualmente no dia 25 de Dezembro (para os ortodoxos que seguem outro calendário é no dia 7 de Janeiro e para os japoneses em 22 de Novembro) para celebrar o aniversário de Jesus de Nazaré, o messias dos Cristãos. Apesar de ser feriado específico de uma religião, muitos não-religiosos abraçam a data – que é feriado em grande parte do mundo. Há o Hanukkah, ou Chanukkah, que é uma festa judia, também conhecida como Festa das Luzes (24 de Kislev a 2 ou 3 de Tevet),  comemorada em data próxima ao Natal de acordo com o calendário do Judaico. Além do significado religoso existe uma figura que ficou conhecida como Papai Noel (Pai Natal em Portugal) que traz presentes para as crianças na virada do dia 24 para o dia 25. É por essa data ser tão conhecida e, para muitas pessoas, época de trocar presentes que indicamos livros para cada membro da família.

Leia mais

Livros para o Halloween


O Dia das Bruxas
(Halloween é o nome original na língua inglesa) é um evento tradicional e cultural, que ocorre nos países anglo-saxônicos, com especial relevância nos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Reino Unido, tendo como base e origem as celebrações dos antigos povos.

Agora indicamos alguns livros que devem ser lidos nesse dia.

Leia mais

Livros para o Dia das Crianças

No Brasil o Dia 12 de Outubro é o Dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do país. Também é comemorado o Dia da Leitura Nacional. Entretanto todos conhecem esse dia como o das Crianças. Além de feriado é uma data para presentear os filhos, sobrinhos e afilhados com presentes. E nesse dia presenteamos seus leitores com livros para ler nesse dia.

Leia mais