James Joyce, um ser humano

Acho que, depois dessa semana – em que houve praticamente um intensivo de James Joyce aqui no Meia Palavra – qualquer apresentação a respeito do autor seria desnecessária. Falou-se de praticamente tudo: Dublinenses, Um retrato do artista quando jovem, Ulysses, … Leia mais

Caminhos recorrentes para Finnegans Wake

Levei trinta anos para acreditar que era possível encarar a opus magna de James Joyce, o mais famoso dos livros que ninguém leu: Finnegans Wake, ou, na tradução brasileira, Finnicius Revém. Convenci-me de que é possível enfrentar o gigante de … Leia mais

Yes, nós temos Ulysses

Um lançamento concorrido Poucas vezes tinha visto um lançamento tão cheio em Curitiba. O lançamento de Muchacha, de Laerte Coutinho, foi bem concorrido – pudera, uma lenda viva entre nós. O de Muito além do nosso eu, de Miguel Nicolelis, … Leia mais

Dublinenses (James Joyce)

Não há como negar: existe uma aura de mistério em torno de James Joyce. Seja pela sua fama de complexidade intrincada, seja pelo vulto que suas obras vieram a assumir em relação ao cânone universal, a leitura de quaisquer de … Leia mais

Um retrato do artista quando jovem (James Joyce)

Muito listado entre as principais obras literárias do século XX, Um retrato do artista quando jovem (1916) tem duas traduções brasileiras até o momento, sendo a primeira de José Geraldo Vieira, lançada em 1945, e a segunda de Bernardina da Silveira Pinheiro (que … Leia mais

Pomes Penyeach (James Joyce)

Assim como Música de câmara (Chamber Music), os Pomes Penyeach (1927) são uma amostra da poesia, o outro lado menos conhecido de James Joyce, famoso por suas obras em prosa. O que temos em seus poemas não está longe do … Leia mais

Gatos Empoleirados – Bloomear

Adoro bloomear pelas ruas da pauliceia chuvosa e nebulosa desde os minguados meses de junho e julho de 2009, quando encerrei a leitura de Ulysses. O motivo para começar a me interessar por James Joyce foi Os Infiltrados, de Martin Scorsese. … Leia mais

Um apanhado de James Joyce

por Caetano Waldrigues Galindo Dúvida? Então confere aí: 1. Quem é James Joyce? – O maior escritor depois de Shakespeare. 2. Quem foi que disse? – Eu. Mais um monte de gente. E até o Bloom, aquele, o Harold, o … Leia mais

Contos Essenciais: A Pensão (James Joyce)

Um dos maiores méritos de Dublinenses, e o que ironicamente foi visto como maior defeito à época da publicação, é a visão crua de James Joyce sobre a cidade. Mesmo que você, caro leitor, não seja um entusiasta da história … Leia mais

Música de câmara (James Joyce)

O irlandês James Joyce é famoso. Famosíssimo: é costume considerá-lo um dos maiores escritores do século XX; e isso não só em língua inglesa. Diz-se que, sem seu Ulysses a literatura não teria se tornado o que se tornou. E, … Leia mais

A nova tradução do Ulysses de James Joyce

É bem provável que a primeira pergunta da maioria ao saber que em 2012 seria lançada uma nova tradução do Ulysses (1922), de James Joyce (1882-1941), foi: por que traduzir esse catatau mais uma vez? A obra-prima do autor irlandês … Leia mais