Schwarz e suas ideias no devido lugar

Como campos do saber que foram criados baseados em pressupostos e objetivos diferentes, e que tiveram todo um desenvolvimento distinto entre si, a história e as letras serão sempre interlocutores que, embora possam se aproximar e interseccionar, travarão debates acalorados. … Leia mais

“Nós estamos sempre presos numa espécie de falso pensamento” entrevista com John Jeremiah Sullivan

Recebi Pulphead, traduzido por Chico Mattoso e Daniel Pellizzari (coincidência, ou não, ambos autores da Coleção Amores Expressos), em casa por indicação da Diana e da Clara que trabalham na Companhia das Letras. Não sei ao certo se Luiz Schwarcz … Leia mais

O ano da bandana

Um dos mais renomados escritores da literatura contemporânea estará na boca e nas prateleiras dos leitores do Brasil em 2013: David Foster Wallace. Nascido em Ithaca, no estado de Nova York, em 1962, formou-se em Língua Inglesa e Filosofia. Em … Leia mais

Pequeno Manual de Procedimentos (César Aira)

O escritor argentino César Aira é, provavelmente, um dos pináculos da literatura contemporânea de seu país. Talvez de toda a literatura em língua espanhola. Produz de maneira frenética e aos 63 anos tem por volta de oitenta livros publicados.

Profissões para mulheres e outros artigos feministas (Virginia Woolf)

Virginia Woolf é frequentemente tida como referência quando as pessoas falam de “escritoras mulheres”. Para muitas pessoas, aliás, seu gênero parece ser a parte mais fundamental de sua escrita: não é tanto a qualidade de Mrs. Dalloway, de To the … Leia mais

Histórias e Estórias – Da ingenuidade – Parte II

Continuando com meus posts sobre a ingenuidade – que começaram mês passado com a defesa de Rousseau – proponho pensarmos um pouco sobre os escritos de Montaigne, não necessariamente o cerne de suas várias facetas, mas uma frase em especial … Leia mais

Formas Breves (Ricardo Piglia)

De certa forma, ler Formas Breves, do argentino Ricardo Piglia, foi uma decepção. Eu já tinha lido um dos textos do livro, “Teses sobre o conto”, e esperava que o tom fosse mais ou menos o mesmo: teoria literária bem … Leia mais

Do que eu falo quando falo de corrida (Haruki Murakami)

Ultimamente tenho descoberto verdadeiras pérolas em escritos que há algum tempo  evitava a todo o custo. Sou um leitor inveterado de romances, procurei sempre prezar pela leitura deles, e faço abertamente minha mea culpa de praticamente não ler poesia. Foi, … Leia mais

Nove ensaios dantescos & a memória de Shakespeare (Jorge Luis Borges)

Após ler Consider the lobster, de David Foster Wallace, pensei que nunca mais gostaria de ler outros ensaios. Não que o texto do escritor morto em 2008 não fossem bons, eles são excelentes. Irônicos, divertidos e informativos com as imensas notas … Leia mais

Como mudar o mundo (Eric Hobsbawm)

Em um mundo que passa por uma recente crise econômica e algumas rachaduras no capitalismo, o historiador Eric Hobsbawm, um dos maiores defensores do socialismo na atualidade, apresenta uma série de ensaios autorais sobre o marxismo, escritos ao longo dos … Leia mais

A consciência das palavras (Elias Canetti)

Elias Canetti foi um dos escritores mais influentes do século XX. Judeu sefardita de origem Búlgara, cuja língua materna era o ladino, bastante cedo – aos 8 anos de idade – tornou-se um emigrante, tendo sua família se estabelecido em … Leia mais

1985 (Anthony Burgess)

Concorde-se ou não com o mundo distópico criado por George Orwell em 1984, há de se reconhecer que o livro é um clássico, seja pelo terror que nos causa pela cogitação de uma hipótese, seja pela força visceral com que … Leia mais