Um pequeno Finn de Joyce

Nos últimos tempos, no Brasil, felizmente acompanhamos uma retomada feroz de leituras da obra de James Joyce. Em parte, trata-se de um fenômeno social derivado do campo jurídico: a obra do autor irlandês entrou em domínio público em 2012, o … Leia mais

A anágua da sra. Gray

Dias atrás, me pus a pensar em como não se fazem mais rifas. Daquelas com bilhetes picotáveis ou com nomes de garotas para escolher, em vez de números. Na escola, era comum ouvir alguém perguntar: “quer participar da minha rifa?” … Leia mais

O retrato de Samuel Beckett quando jovem

Acredito que Samuel Beckett (1906-1989) é uma figura conhecida da maioria dos leitores desta página, o que me leva a evitar grandes descrições de sua biografia e sua trajetória literária. Todos o relacionamos imediatamente ao chamado Teatro do Absurdo, termo … Leia mais

Caminhos recorrentes para Finnegans Wake

Levei trinta anos para acreditar que era possível encarar a opus magna de James Joyce, o mais famoso dos livros que ninguém leu: Finnegans Wake, ou, na tradução brasileira, Finnicius Revém. Convenci-me de que é possível enfrentar o gigante de … Leia mais

Dublinenses (James Joyce)

Não há como negar: existe uma aura de mistério em torno de James Joyce. Seja pela sua fama de complexidade intrincada, seja pelo vulto que suas obras vieram a assumir em relação ao cânone universal, a leitura de quaisquer de … Leia mais

Um retrato do artista quando jovem (James Joyce)

Muito listado entre as principais obras literárias do século XX, Um retrato do artista quando jovem (1916) tem duas traduções brasileiras até o momento, sendo a primeira de José Geraldo Vieira, lançada em 1945, e a segunda de Bernardina da Silveira Pinheiro (que … Leia mais

Pomes Penyeach (James Joyce)

Assim como Música de câmara (Chamber Music), os Pomes Penyeach (1927) são uma amostra da poesia, o outro lado menos conhecido de James Joyce, famoso por suas obras em prosa. O que temos em seus poemas não está longe do … Leia mais

Música de câmara (James Joyce)

O irlandês James Joyce é famoso. Famosíssimo: é costume considerá-lo um dos maiores escritores do século XX; e isso não só em língua inglesa. Diz-se que, sem seu Ulysses a literatura não teria se tornado o que se tornou. E, … Leia mais

A nova tradução do Ulysses de James Joyce

É bem provável que a primeira pergunta da maioria ao saber que em 2012 seria lançada uma nova tradução do Ulysses (1922), de James Joyce (1882-1941), foi: por que traduzir esse catatau mais uma vez? A obra-prima do autor irlandês … Leia mais

Quarto (Emma Donoghue)

Para qualquer criança uma pequena descoberta como o nome de um inseto, o sabor de uma comida ou a diferença entre manhã e noite pode ser tão gigantesca quanto o tamanho do mundo. Aliás, mundo, grande parte das vezes, é … Leia mais

Artemis Fowl e o Complexo de Atlântida (Eoin Colfer)

Depois de dois livros que se ocuparam em grande medida em estabelecer limites escrupulosos para as atitudes e a consciência de Artemis Fowl, o sétimo e penúltimo livro da série (O Complexo de Atlântida) deu uma guinada na direção contrária, … Leia mais

Artemis Fowl (Eoin Colfer) – Parte II

Perdeu a primeira parte dessa resenha? Pode encontrá-la aqui. O processo de transformação que começara a operar no jovem Fowl no quarto livro (A vingança de Opala) torna-se pujantemente central no quinto livro (A colônia perdida). É uma transição, um … Leia mais